História

O Transporte Coletivo de São Francisco do Sul

Verdes Mares página apresentaçãoForam muitas as tentativas para que São Francisco do Sul tivesse um transporte coletivo na cidade. Passaram pela cidade muitos investidores que, no decorrer dos anos, desanimaram e vendiam suas pequenas empresas ou, até mesmo, abandonavam o sistema.

O transporte coletivo só começou a despertar interesse dos empresários com a chegada da Petrobrás. Pessoas ligadas ao setor passaram a investir em pequenos veículos para fazer o transporte dos funcionários.

Com o término das obras da Petrobrás e entre outras dificuldades, o sistema entra em crise novamente. Diante deste cenário, o último investidor do ramo vende o seu negócio para a Família Guido. Esta, por sua vez, com visão empreendedora, compra veículos com a intenção de desenvolver o transporte de turismo. Assim, o transporte coletivo renasce.

A Família Guido consegue manter o sistema coletivo até 1989, quando a crise financeira do país juntamente com o valor muito baixo da tarifa atinge os negócios e obrigam a Família a vender a empresa.

O novo comprador, Valdemar Reksindler, adquire a empresa com três ônibus. Um veículo fazia a linha do Bairro Enseada, sentido Centro/Bairro, de 2 em 2 horas, com encerramento às 19 horas. Os demais carros percorriam os Bairros Paulas e Rocio Grande, respectivamente, com intervalo de 1 hora entre um trajeto e outro.

Acreditando no potencial da cidade, em outubro de1989, a Viação Verdes Mares é fundada no Governo Municipal de Rogério Zattar Júnior, que concede a Viação como permissionária ao direito de exploração das linhas: Enseada, Miranda, Paulas, São José do Acarai da Tapera, Capri, Morro Grande e Vila da Gloria.

No início, a linha Enseada era de hora em hora, um ônibus parava às 19 horas e o outro fazia mais dois horários para atender aos estudantes às 21h30 e às 23 horas. A linha do Paulas e do Miranda também tinha estes mesmos horários. Morro Grande e São José do Acarai encerravam as atividades às 19 horas. E a linha do Capri só foi ativada em 1991 com três horários diários. A linha Vila da Glória também passou a atender os estudantes em três vezes ao dia.

Mais tarde, com problemas financeiros, a Viação Verdes Mares atravessa dificuldades extremas: falta de manutenção, carros muitos antigos, espaço inadequado. A oficina era chão de terra batida com mais ou menos 20 m². O almoxarifado quase não tinha peças para reposição. Havia apenas um Fusca ano 73 para socorrer os ônibus na estrada, levando óleo de motor, óleo hidráulico e fluido de freio. O banco de carona foi retirado para fazer transporte de pneus socorros e ferramentas. Para lavar os ônibus era utilizada uma mangueira de jardim. Durante este período, muitas vezes os ônibus não conseguiam concluir o trajeto e não havia outros para substituí-los.

Outra grande dificuldade era quando amanhecia, a falta de carros para atender a população era frequente. Outro agravante eram as estradas de São Francisco, a maioria delas era de terra, dificultando ainda mais a situação.

Com a falta de investimento e o valor da tarifa baixo, a Viação Verdes Mares foi obrigada a suspender horários, cancelar linhas e reduzir o número de funcionários. Como os horários eram inconstantes, os usuários não tinham certeza se o ônibus viria e aí passaram a usar as bicicletas como principal meio de locomoção. Assim, com endividamento maior e veículos financiados, a Viação Verdes Mares ganha um novo sócio proprietário, também dirigente da empresa TransIzac.

Logo começaram os investimentos, que perduraram por um bom tempo. Mas, a empresa não teve o êxito do lucro esperado. O péssimo estado da frota leva os empresários a colocarem a empresa à venda.

Depois de vários meses de negociações difíceis, o Grupo Gidion adquire a Viação Verdes Mares no dia 1 de julho de 1994. Hoje o Grupo é o 11º investidor que acredita no potencial da cidade de São Francisco do Sul.

A nova visão de mercado do Grupo gerou grandes mudanças. Os veículos foram substituídos, os horários ativados. Linhas extintas passaram a funcionar, a manutenção periódica foi otimizada para garantir mais segurança e conforto aos usuários.

Com todas estas mudanças, a Verdes Mares passa a ser reconhecida por seus serviços de qualidade e conquista a confiança da população, dos empresários e do poder público.

Em 1996, a Viação Verdes Mares amplia suas instalações e adquire uma propriedade de 6 mil metros quadrados na Rua Marcos Gorresen, com equipamentos modernos no escritório e oficina.

A Viação Verdes Mares se desenvolveu e, atualmente, além do transporte coletivo urbano de São Francisco do Sul, também é responsável pelas linhas intermunicipais da região de Joinville.

Voltar